Acessibilidade WordPress: Criando e Testando a Acessibilidade no WordPress

Um dos aspectos mais importantes quando se está construindo o design de um site, é pensar na audiência dele. Se você não otimizar seu site para uma variedade de usuários, estará limitando quem pode ver seu conteúdo. Não pensar ativamente sobre a acessibilidade no WordPress pode fazer com que seus visitantes saiam de seu site muito rapidamente e nunca mais retornem. 

Focar na acessibilidade quando estiver construindo um site no WordPress permite que mais pessoas naveguem e interajam com o site. Com um design acessível e recursos inclusivos, a experiência do usuário (UX) pode ser melhorada, principalmente para pessoas com deficiências.

Neste artigo vamos analisar mais profundamente as opções de acessibilidade do CMS WordPress, bem como os modos de implementá-las no seu site.

Depois, ainda vamos mostrar como testar os novos recursos antes de publicar seu conteúdo. Vamos lá!

O Que é Acessibilidade Web?

Acessibilidade web é o processo de tornar um site acessível a uma variedade de usuários, incluindo pessoas com deficiências. Se um usuário possuir algum tipo de deficiência motora ou visual, a acessibilidade web pode proporcionar a ele total acesso ao conteúdo online.

Uma Introdução à Acessibilidade WordPress 

Um exemplo simples e prático trata do esquema de cores em um site que, quando configurado com as proporções de contraste corretas, pode permitir que um usuário daltônico facilmente leia e compreenda o conteúdo. Além disso, já que outros visitantes podem não conseguir utilizar um mouse, você pode tornar seu site navegável utilizando apenas o teclado. Este é um outro exemplo de medida de acessibilidade em um site. 

Página inicial do site do banco Barclays - destaque para a sessão de acessibilidade

Depois do Ato dos Americanos com Deficiências (ADA) ter sido aprovado nos Estados Unidos, a acessibilidade passou a ser um elemento exigido por lei. Se você é um desenvolvedor web ou um dono de site, é preciso que tenha em mente as diretrizes do WCAG (Web Content Accessibility Guidelines) quando estiver construindo suas páginas. 

Algumas dessas diretrizes indicam que todo o conteúdo do site deve ser:

  • Perceptível. Usuários da internet devem ser capazes de entender as informações contidas em uma página da web, mesmo quando estiverem utilizando algum tipo de tecnologia assistiva, como um leitor de tela. 
  • Operável. Deve ser fácil navegar por um site, independente do instrumento utilizado pelos visitantes, seja um mouse, teclado ou comandos de voz. 
  • Compreensível. O conteúdo do site deve ser legível e fácil de ser compreendido. 
  • Robusto. Os usuários do site devem conseguir acessar seu conteúdo com uma variada gama de tecnologias, incluindo navegadores, leitores de tela e dispositivos móveis, como celulares. 

Quando se trata do WordPress, as opções de acessibilidade podem ser um sucesso ou um fracasso. Apesar do Time de Acessibilidade do WordPress sempre avaliar o núcleo do software, os temas, e os plugins, não há garantias de que todos estes elementos serão complacentes com as diretrizes de acessibilidade. 

Fundamentalmente, desenvolvedores e criadores de conteúdo são responsáveis pela seleção de seus próprios recursos e equipamentos de acessibilidade. Esse processo pode demandar um pouco mais de tempo e esforço, mas traz diversos benefícios, como:

  • Permitir que uma ampla gama de usuários possa visualizar seus conteúdos.
  • Melhorar a experiência dos usuários, principalmente para pessoas com deficiências.
  • Auxiliar na construção de confiança e lealdade com sua audiência.

Resumidamente, você deseja que todo mundo consiga acessar seu site WordPress. Por isso é importante que ele seja acessível. Muitos sites excluem usuários com deficiências visuais ou com limitações motoras, então você deve ativamente levar em consideração a experiência dessas pessoas em seu site quando estiver nos processos de desenvolvimento e design. 

Quais são os Principais Recursos da Acessibilidade Web?

Você precisará trabalhar em diversas funcionalidades para tornar o  seu site acessível. Elas incluem:

  • Navegação. Seus visitantes devem conseguir acessar qualquer parte do site utilizando apenas o teclado do dispositivo ou outras ferramentas de tecnologia assistiva. 
  • Alt text. O “texto alternativo” é um texto descritivo inserido em suas imagens. Ele permite que usuários com quaisquer níveis de deficiência visual possam acessar e compreender as informações da página utilizando leitores de tela.
  • Esquema de Cores. A paleta de cores deve possuir tons contrastantes, tornando o conteúdo mais legível. 
  • Fonte. Todos os textos no site devem possuir pelo menos 16 pixels de tamanho, e devem utilizar um estilo de fonte legível e compreensível. 

Mesmo que você não tenha conhecimento para considerar todas as condições médicas que possam exigir ferramentas de acessibilidade adicionais, os recursos listados acima podem garantir que mais pessoas consigam entender e se engajar com seu site. 

8 Dicas de Acessibilidade WordPress 

Agora que já analisamos a importância da acessibilidade web em geral, é hora de partirmos para a discussão de como otimizar seu site WordPress para que ele responda às diretrizes legais de acessibilidade.  

1. Selecione um Tema Adequado no WordPress

Quando estiver fazendo o design do seu site, você provavelmente tenderá a buscar um dos melhores temas gratuitos do WordPress. Apesar de muitas dessas opções serem populares, sem custo, e com um bom design, isso não significa que todas elas são acessíveis.

Alguns temas podem dificultar o acesso e a exibição de suas páginas para usuários com deficiências. Por exemplo, um esquema de cores padrão pode possuir tons parecidos para o plano de fundo e para os elementos textuais.

Isso significa que visitantes daltônicos podem não conseguir identificar a diferença, assim não reconhecerão seu conteúdo.

Exemplo de página de site com esquema de cores contrastantes

De todo modo, você vai encontrar diversos temas WordPress que possuem recursos adequados de acessibilidade web. Essas opções passaram por auditorias de acessibilidade, oferecendo funcionalidades adicionais para facilitar a navegação e visualização dos conteúdos do site. 

Aqui estão alguns dos recursos básicos que você deve buscar em um tema acessível:

  • Navegação por teclado.
  • Estrutura de cabeçalho HTML adequada.
  • Esquema de cores e contrastes.

Quando você estiver navegando pelas alternativas, buscando um tema acessível no WordPress, é possível reduzir suas opções através da utilização de um filtro. No Diretório de Temas, basta clicar no botão de Filtro de Recursos e selecionar Pronto para Acessibilidade.

Seleção de filtro "pronto para acessibilidade" no diretório de temas do WordPress

Depois de aplicar o filtro, você verá todos os temas que atendem aos requisitos de acessibilidade do WordPress. Muitas dessas opções terão um design simples e oferecerão suporte a tecnologias assistivas.

Resultado da busca por temas filtrados pela opção "pronto para acessibilidade" no WordPress

De todo modo, é importante que você note que estes temas respondem às exigências mínimas de acessibilidade web. Um tema específico pode não levar em conta as necessidades de diferentes níveis de deficiências ou limitações temporárias.

Para garantir que um tema é adequado para responder aos seus requisitos pessoais, você precisará ler a descrição e avaliar os recursos de acessibilidade que ele oferece. 

2. Adicione Recursos Funcionais com Plugins 

Outra solução simples para atender às exigências de acessibilidade WordPress é a utilização de plugins. Quando você instala um plugin do WordPress, pode automaticamente impulsionar a acessibilidade do site sem precisar fazer manutenções recorrentes. 

Quando se trata de acessibilidade, dois tipos de plugins podem ser muito úteis. Alguns plugins são desenvolvidos para te ajudar a construir conteúdos acessíveis, enquanto outros são especializados em fazer com que um site que já existe seja mais inclusivo. 

Você pode encontrar um plugin WordPress que atende aos requisitos de acessibilidade na web através de um filtro de seleção. Se estiver buscando plugins pelo Diretório de Plugins do WordPress, não se esqueça de navegar pelos resultados com a tag do plugin: “accessibility”.

Busca por plugins acessíveis noWordPress com a etiqueta "acessibility"

Um dos melhores plugins WordPress para acessibilidade é o One Click Accessibility.

Banner do plugin One Cliqck Accessibility

Uma vez que você tiver construído seu site, esta ferramenta pode adicionar novos recursos, permitindo que qualquer pessoa visualize seus conteúdos. Por exemplo, para tornar seu site acessível para usuários que utilizam apenas o teclado para navegação, você pode habilitar a funcionalidade “pular-para-conteúdo”.

Outra opção para trazer maior inclusividade para suas páginas é alterar o esquema de cores com contraste negativo, plano de fundo com cores claras ou com opções em vários tons de cinza. 

3. Descreva suas Imagens com Alt Text

Imagens são tão importantes em um site quanto qualquer outro tipo de conteúdo presente nele. Na verdade, as imagens são frequentemente preferíveis do que blocos com textos longos, já que os elementos visuais são capazes de exibir as informações necessárias de forma instantânea e mais criativa. 

Quando lido por leitores de tela, um alt text bem escrito deve oferecer a mesma informação contida na imagem. Assim, uma pessoa com deficiências visuais pode experienciar o conteúdo do site por completo. Os textos alternativos também podem ser chamados de alt tags ou descrições alternativas.

Os alt texts cumprem um papel fundamental nas estratégias de SEO no WordPress. Isso porque os mecanismos de busca utilizam justamente os textos alternativos para responder às pesquisas com os resultados. Sendo assim, você deve incluir e ficar atento às descrições alternativas das imagens do seu site, pois este recurso não pode ser ignorado.

Depois de enviar uma imagem ao seu WordPress, para que seja exibida em uma de suas páginas, navegue até a opção Detalhes do Anexo no menu lateral direito da tela. Ali você verá algumas opções para serem incluídas, como título, legenda, descrição e o alt text

Sessão do Alt Text na publicação de imagem num site WordPress

Para escrever o texto alternativo em si, garanta que sua descrição da imagem não ultrapassa o limite máximo de palavras (por volta de 125 caracteres). Já que os mecanismos de busca também utilizam essa informação para entender a imagem, não se esqueça de incluir suas palavras-chave no alt text para impulsionar seu posicionamento nos rankings das páginas do Google. 

Apesar das legendas serem opcionais, elas podem oferecer informações adicionais para seus leitores. Enquanto um alt text deve ser curto e descritivo, uma legenda pode possuir mais detalhes e novas informações, como a fonte da imagem. 

Adicionar textos alternativos e legendas nas imagens das suas páginas pode ser uma forma simples de tornar seu site WordPress mais acessível. Mesmo que alguns usuários não consigam fisicamente visualizar essas imagens, eles conseguem entendê-las através de suas descrições. 

Outro plugin de acessibilidade WordPress muito útil é o Bulk Auto Image Alt Text.

Banner do plugin de acessibilidade Bulk Auto Image Alt Text.do WordPress

Como o nome em inglês sugere, essa ferramenta habilita a adição automática de textos alternativos em múltiplas imagens de uma só vez. O plugin gera alt tags a partir dos nomes das imagens, títulos dos posts ou palavras-chave, e além disso ele é compatível com o Yoast SEO e o WooCommerce.

4. Use Fontes Legíveis

Quando estiver definindo o formato dos seus conteúdos online, pode ser que você não pense nas fontes como uma questão de acessibilidade. Porém, a fonte dos textos pode influenciar muito na inclusão de usuários em seu site.

Um estilo ou tamanho de fonte incorreto, confuso, pequeno ou com cores não contrastantes com o fundo, pode dificultar e até impedir que certas pessoas consigam ler seus conteúdos. 

Se você optar por uma fonte personalizada e mais decorativa, como estilo cursivo, algumas pessoas podem ter dificuldades em compreender o texto. Sendo assim, o indicado é optar por estilos simples e de fácil legibilidade, como Calibri, Arial, e Times New Roman.

Outro elemento a ser considerado é o tamanho da fonte. Geralmente, fontes consideradas acessíveis devem ter pelo menos 16 pixels de tamanho. Além disso, você deve permitir que seus usuários consigam dar zoom ou redimensionar o texto exibido na página, para que assim os leitores que possuam limitações de visão possam ler e entender o conteúdo do site. 

Caso você utilize um tema de blocos (block theme), é possível editar as fontes do site através do Editor de Site. Para acessá-lo basta navegar até seu painel de controle do WordPress, acessar a aba Aparência → Editor. Em seguida, selecione a opção Tipografia

Sessão de edição de fontes no WordPress pelo Editor do Site

Depois, clique no elemento Texto. Isso fará com que uma nova janela seja exibida, contendo opções de personalização dos estilos e tamanhos das fontes em seu site. 

Sessão de edição de fontes no WordPress pelo Editor do Site

Para habilitar a opção de redimensionamento da fonte, é recomendado utilizar um plugin como o Zeno Font Resizer.

Banner do plugin de redimensionamento de fontes Zeno Font Resizer do WordPress

Com esta ferramenta você pode permitir que os visitantes ajustem o tamanho da fonte de acordo com suas necessidades. Além disso, o plugin utiliza cookies — elementos que salvam as preferências do usuário — assim armazenando e exibindo o conteúdo sempre no formato desejado.

5. Defina Cores Contrastantes 

Conforme estiver personalizando o esquema de cores do seu site, é importante levar em consideração diversos fatores, inclusive as limitações de usuários portadores de daltonismo. Se você escolher utilizar cores com tonalidades muito parecidas, pessoas com baixa visão podem não conseguir diferenciar esses tons de cores, e assim podem ser impedidos de compreender os textos contidos em suas páginas.  

Portanto, optando por utilizar cores contrastantes, você estará permitindo que todos os visitantes consigam facilmente ler e entender seus conteúdos. Geralmente, a fonte na cor preta com um plano de fundo branco é a configuração de cor preferível, dado seu contraste marcante.

Página do site The New York Times como exemplo de fundo branco com texto preto

Felizmente, o WordPress te envia notificações automaticamente caso tente utilizar tonalidades muito similares. Quando o programa detecta uma combinação de cores que é difícil de ser lida, ele irá sugerir outra opção que seja mais legível, como um plano de fundo escuro e um esquema de cores claras para os elementos textuais. 

Notificação do WordPress no editor de blocos referente à problemas de legibilidade no elemento inserido

Você também pode utilizar o recurso WebAIM Contrast Checker para encontrar esquemas de cores acessíveis para seu site. Essa ferramenta permite que você teste diferentes combinações de cores e tonalidades, o que possibilita saber se elas possuem contraste suficiente para irem ao ar em seu site. 

Página do verificador de contraste WebAIM Contrast Checker

Após a escolha das cores, o WebAIM Contrast Checker irá fornecer uma proporção de contraste. Se as cores possuem uma relação de pelo menos 4.5:1, elas serão aceitas frente às exigências de acessibilidade contidas nas diretrizes do WCAG. Além disso, você consegue verificar as cores escolhidas em uma pré-visualização oferecida pela ferramenta, facilitando seu processo de decisão quanto à paleta de cores ideal para seu site. 

6. Inclua Cabeçalhos

Quando estiver escrevendo novas publicações, você precisará organizar cada uma delas com cabeçalhos apropriados. Ao quebrar o texto em diferentes seções, seu conteúdo será mais facilmente lido e compreendido pelos visitantes.

Ninguém tem interesse em ler uma longa seção textual sem divisões e quebras de texto. Sendo assim, os cabeçalhos (headings) e espaçamentos apropriados são não apenas elementos de acessibilidade, mas também podem ser uma maneira eficiente de manter seus leitores engajados com o conteúdo. 

Especialmente para visitantes que possuam alguma dificuldade de aprendizado, a inclusão de cabeçalhos pode evitar que fiquem frustrados e abandonem o site completamente.

O editor de blocos do WordPress, ou o WordPress Block Editor facilita esse processo de adição e organização de cabeçalhos em seu site. Basta que você adicione um novo bloco de Heading, então escolha qual o tamanho desejado para essa seção do texto. 

Seleção de cabeçalhos (headings) no editor do WordPress

Depois de formatar os cabeçalhos, você pode verificar se eles ficaram configurados com o tamanho correto. Para fazer isso, simplesmente clique no botão de detalhes no canto superior esquerdo da página, em Details. Se por acaso algum nível ou estilo de cabeçalho estiver incorreto, o próprio WordPress exibirá uma mensagem de alerta em sua tela.

Sessão de verificação dos detalhes de publicação - cabeçalhos

Adicionando headings apropriados aos seus posts, você estará incentivando seus visitantes a lerem a publicação completa, do início ao fim. Consequentemente, essa simples etapa pode reduzir a taxa de rejeição de seu site e aumentar o engajamento dos usuários. 

7. Configure Textos de Âncora Descritivos

Outra maneira de aumentar o nível de acessibilidade do seu site WordPress, é rotular seus links. E é para isso que servem os textos de âncora, ou anchor texts

Quando estiver escrevendo uma publicação, é interessante incluir links internos e externos para direcionar seus leitores para diferentes páginas da internet. De todo modo, se você simplesmente utilizar a expressão “clicando aqui” como seu texto de ancoragem, ela não será nada descritiva quanto à página-destino do link.

Se sua audiência utiliza ferramentas de tecnologia assistiva, como leitores de telas, é ideal que você torne seus textos de âncora mais descritivos. Deste modo, os usuários saberão exatamente no que estão clicando e para onde serão redirecionados. 

Por exemplo, vamos supor que você deseja direcionar sua audiência a uma página de cursos online. Então, ao invés de inserir o link na expressão “clique aqui”, utilize uma frase como “meus cursos” para ancorar o link que deseja. Isso irá informar aos seus leitores quanto à página para a qual serão redirecionados pelo link em questão.

Você também pode adicionar botões para destacar links e facilitar sua identificação e leitura. Para fazer isso, basta inserir um bloco de botão através do editor de blocos do WordPress.

Seleção de elementos para inserção de botão no editor do WordPress

Depois, escreva uma curta descrição que especifique o local para onde o link irá redirecionar. Ao editar as cores do fundo e do texto desse botão, você deve lembrar de configurar tons contrastantes, aumentando sua legibilidade e facilitando sua compreensão. 

Seção de edição de cores do botão no editor do WordPress

Resumidamente, você deve garantir que todos os links em seu site estejam bem descritos e com um estilo apropriado. Quando usuários utilizam recursos como leitores de tela, textos de âncora descritivos podem informá-los sobre o destino do link, permitindo que eles naveguem pelo seu conteúdo sem muitas dificuldades.

8. Utilize Legendas e Transcrições para Vídeos 

Se o seu site possui elementos de vídeo, é essencial garantir que esse formato de conteúdo também seja acessível. Para tornar seu site inclusivo para leitores com limitações de audição ou dificuldades de processamento auditivo, você deve gerar legendas e transcrições em seus vídeos. Esse simples, mas significativo recurso, ajuda seus usuários a entenderem o conteúdo de forma mais clara. 

Uma das maneiras mais fáceis de adicionar um vídeo no WordPress é inserindo um bloco do YouTube pelo editor de blocos. Outra boa notícia é que o próprio YouTube possui um recurso de transcrições automáticas. Isso pode facilitar muito seu trabalho, poupando o tempo que você levaria para criar as legendas manualmente.

Captura de tela de vídeo com legendas geradas automaticamente pelo Youtube

Para vídeos mais longos, considere criar uma transcrição, não apenas legendas. Esse processo envolve a tradução de cada palavra dita no vídeo para palavras escritas em um documento de texto.

Transcrições ajudam leitores a entender tudo que está acontecendo em um vídeo. Se você publica vídeos e podcasts em seu site, transformá-los em transcrições textuais pode ser uma maneira muito útil de oferecer um guia para a escuta e compreensão desses conteúdos. 

Quando tiver decidido por escrever uma transcrição, você pode digitar o texto conforme o escuta em um rascunho de post do WordPress. Essa pode ser uma solução simples caso você seja um bom ouvinte e um digitador rápido.

De todo modo, há diversos programas que realizam esse trabalho, bem como profissionais especializados na tarefa. Softwares de transcrição para processar vídeos estão disponíveis na internet. Um exemplo desse tipo de ferramenta é o VEED.IO, com o qual você pode fazer o envio de um arquivo de áudio e convertê-lo rapidamente em texto, com apenas um clique.

Página inicial do site da ferramenta VEED.IO para transcrição de vídeos

Esse recurso é capaz de fazer a transcrição automática de um arquivo de texto e traduzi-lo para mais de 100 idiomas diferentes. Você também tem a opção de editar a transcrição antes de fazer o download dela a partir do programa. 

Como Testar a Acessibilidade do WordPress 

Assim que tiver criado seu site, é importante testar a acessibilidade dele. Você quer garantir que todos os recursos estão funcionando corretamente antes de colocar o site no ar. 

Uma forma simples de fazer isso é conduzir diversos testes automatizados. Esse processo envolve rodar o site em uma ferramenta de avaliação de acessibilidade para saber se ele é acessível e qual o nível desse desempenho.

Uma ferramenta popular para testar a acessibilidade do WordPress é o WAVE. Você pode inserir a URL do seu site no mecanismo e o WAVE vai exibir um resumo dos recursos de acessibilidade já disponíveis no site, bem como uma lista de medidas que você pode adotar para tornar seu site mais acessível. 

Página do site WAVE - ferramenta de teste de acessibilidade

Conforme estiver navegando pela janela com a pré-visualização do seu site, clique nos ícones de alerta para identificar seções com baixo desempenho de acessibilidade. O WAVE ainda vai te notificar quanto a possíveis erros de contraste de cores, falta de cabeçalhos e links redundantes. 

Resultados da avaliação de acessibilidade do WAVE quanto ao contraste

Enquanto isso, a aba de estrutura, Structure, exibe as informações referentes à facilidade de navegação pelo seu conteúdo.

Resultados da avaliação de acessibilidade do WAVE quanto à navegação

Apesar dessa ferramenta ser muito útil, ela pode não identificar todos os problemas de acessibilidade. Sendo assim, você também deve considerar fazer testes manuais no site. 

Para uma testagem manual, acesse o front-end do seu site, como se fosse um novo visitante, e tente navegar pelos seus conteúdos e páginas. Primeiramente, verifique se há algum elemento que se move ou fica piscando em suas páginas, o que pode distrair e confundir usuários. Depois, avalie o tamanho e esquema de cores das suas fontes, garantindo que os textos e botões são facilmente legíveis.

Abaixo estão listadas algumas dicas adicionais para considerar quando rodar um teste de acessibilidade manualmente em seu site: 

  • Garanta que é possível navegar pelo site utilizando apenas o teclado. Você deve conseguir acessar diferentes páginas e visualizar diferentes seções dentro de cada uma delas. 
  • Utilize um leitor de tela para visualizar e entender como seu conteúdo soa quando lido em voz alta. 
  • Teste os recursos de zoom e redimensionamento de fontes nos seus conteúdos textuais.

Depois de avaliar a acessibilidade do site e lançá-lo na internet, é uma boa ideia coletar feedbacks e avaliações dos seus visitantes. Se você receber comentários sobre a acessibilidade do seu conteúdo, tente implementar as mudanças que foram solicitadas. 

Conclusão

Focar em recursos de acessibilidade pode ser um ponto chave na retenção dos seus visitantes na internet. Quando você leva em consideração a experiência online de pessoas com deficiências, é possível e fácil oferecer alternativas que proporcionem a inclusão desses usuários. Esse processo auxilia também no estabelecimento de confiança com seus leitores, mantendo-os engajados e leais, voltando ao seu site para conferir novos conteúdos. 

Para revisarmos, aqui estão algumas formas de tornar seu site WordPress mais acessível:

  • Selecione um tema apropriado.
  • Adicione recursos funcionais utilizando plugins do WordPress.
  • Descreva as imagens do site com textos alternativos.
  • Use fontes legíveis em seus elementos textuais.
  • Defina um esquema de cores contrastantes para o design.
  • Inclua cabeçalhos em textos mais longos, como blog posts.
  • Configure textos de ancoragem claros e descritivos.
  • Utilize legendas e transcrições em elementos de áudio e vídeo.

Esperamos que este guia tenha ajudado a simplificar as questões de acessibilidade do WordPress. Agora você já pode construir um site que seja acessível para todos os visitantes. 

Não se esqueça de utilizar uma hospedagem WordPress de confiança para ter uma experiência ainda melhor com a sua jornada online.

Acessibilidade WordPress – Perguntas Frequentes

Até aqui nós discutimos algumas maneiras práticas de tornar seu site mais acessível. Agora, vamos verificar algumas das perguntas mais frequentes quando se trata de adequação de sites WordPress às diretrizes de acessibilidade web.

O meu Site WordPress Atende às Exigências de Acessibilidade?


Se você não tem certeza que seu site atende às exigências de acessibilidade propostas pelas diretrizes ADA, utilize plugins como o Accessibility Suite para conferir relatórios detalhados quanto aos níveis de acessibilidade do seu site.

Quão Acessível é o WordPress?


O WordPress não garante que todo seu software é acessível, mas certos temas e plugins são avaliados periodicamente por uma Equipe de Acessibilidade. O WordPress espera que seus códigos atendam pelo menos ao nível AA das Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG, na sigla em inglês).

Author
O autor

Bruna B. Barro

Bruna é formada em relações internacionais pela UFSC e atualmente faz mestrado em sociologia pela UFRJ. Determinada em tornar o conhecimento sobre tecnologia acessível a todas as pessoas, atua como tradutora e redatora freelancer na Hostinger. Tem experiência com tradução, localização, copywriting, gerenciamento de projetos, atendimento ao cliente e escrita acadêmica. No seu tempo livre gosta de assistir séries, cozinhar e jogar jogos de lógica.