WordPress

Como criar um plugin WordPress

tutorial para aprender a como criar um plugin wordpress usando php

Neste tutorial, você vai aprender a como criar um plugin WordPress com uma página própria de administrador. A razão mais importante para criar um plugin é que ele permite que você separe o código próprio dele do código padrão usado pelo WordPress. Assim, se algo der errado com seu plugin, todo o resto do seu site ficará intacto e funcionando normalmente.

Alterar o código padrão do WordPress pode ser desastroso. Com algumas funcionalidades avançadas de criação de plugin WordPress, você até mesmo consegue criar plugins que mudam a maneira como as funções centrais do CMS funcionam sem alterar o código dele por inteiro.


O que você vai precisar

Para completar os passos nesse tutorial, você vai precisar de um editor de texto como o Notepad++ ou o NetBeans. Você também vai precisar do acesso a sua conta de hospedagem pelo FTP para fazer a atualização de seus arquivos. Além do WordPress instalado. 

Este tutorial é mais indicado a usuários que já possuem um conhecimento básico em PHP. Você vai ter que escrever uma nova função, chamar funções já existentes do WordPress usando parâmetros e escrever comentários PHP.

Também é altamente recomendável criar uma cópia de segurança de seu site antes de prosseguir. Para isso, siga este tutorial (em inglês).  


O que é um Plugin WordPress

Um plugin WordPress é um conjunto de códigos independentes que melhoram e ampliam a funcionalidade do WordPress.

Ao usar qualquer combinação de PHP, HTML, CSS, Java, JQuery ou qualquer outra linguagem de programação, um plugin pode adicionar novos recursos a qualquer parte do seu site. Incluindo o painel de controle.

Você pode modificar o comportamento padrão do WordPress ou remover um comportamento indesejado completamente. Os plugins permitem que você personalize a plataforma facilmente e do jeito que você quiser. Tudo vai depender das suas necessidades. 

Como os plugins do WordPress são autônomos, eles não alteram  nenhum código próprio do WordPress. Eles podem ser copiados e instalados em qualquer parte da plataforma.

Uma maneira alternativa e não-recomendada de fazer alterações no WordPress é escrever novas funções no arquivo functions.php. Ele está armazenado na pasta /wp-includes/ ou no arquivo functions.php que faz parte de um tema. Só que isso vem com uma série de problemas em potencial.

O WordPress e seus temas recebem atualizações regularmente. E a  menos que você esteja usando o tema filho do WordPress, quando as functions.php são substituídas por uma atualização, seu novo código será excluído e você terá que gravá-lo novamente.

Se você escrever muitas funções e uma delas tiver um erro que não pode depurar, talvez seja necessário substituir todo o arquivo pelo original e excluir todas as alterações feitas. Se suas funções são removidas do arquivo, o site pode ficar cheio de erros PHP, em que ele tenta chamar as funções que estão faltando. 

Dessa forma, os plugins nunca são substituídos ou excluídos automaticamente ao instalar as atualizações do WordPress. Se o seu plugin tiver erros de codificação, geralmente você pode desativá-lo no Painel de Controle. Se o seu plugin tiver um erro grave, o WordPress às vezes o desativa automaticamente,  permitindo que o site continue funcionando.


O que são Hooks

Os plugins do WordPress interagem com o código central da plataforma através de hooks (ganchos, em tradução livre). Há dois tipos de hooks:

  1. Action Hooks (adicionam/removem funções)
  2. Filter Hooks (modificam dados feitos por funções)


Actions e Action Hooks

Quando você visita qualquer página de um site WordPress, uma série de funções PHP (chamadas de actions) são ativadas em vários pontos.

E eles são anexados a actions hooksAo utilizar os actions hooks fornecidos pelo WordPress, você pode adicionar as funções à lista de ações que são executadas quando qualquer action hook é chamado. E você pode remover funções preexistentes de qualquer hook.

Os actions hooks determinam quando as ações são requeridas. Antes da tag de fechamento </ head> de qualquer página, o action hook wp_head () é chamado e as ações que estão conectadas a wp_head () são executadas.

Os actions hooks são contextuais. Alguns são chamados em todas as páginas do seu site. Outros, só são chamados ao visualizar o Painel de Controle e assim por diante.

Uma lista completa de hooks de ações e o contexto em que são chamados podem ser encontrados na página API/Action Reference do WordPress Plugin.


Adicionando funções a um action hook usando add_action()

Para adicionar uma função a qualquer action hook, seu plugin deve chamar a função WordPress add_action (), com pelo menos dois parâmetros.

// Hook to the 'init' action, which is called after WordPress is finished loading the core code
add_action( 'init', 'add_Cookie' );
 
// Set a cookie with the current time of day
function add_Cookie() {
  setcookie("last_visit_time", date("r"), time()+60*60*24*30, "/");
  • O primeiro parâmetro requerido é o nome da ação que você quer aplicar.
  • O segundo parâmetro é o nome da função que você quer rodar.
  • O terceiro é opcional como prioridade na função se você quiser rodar. Você pode escolher qualquer número de função diferente para a mesma ação e ordenar do jeito que você quiser. A prioridade padrão é 10, que coloca sua função como prioridade depois de construir as funções básicas do WordPress.
  • O quarto parâmetro também é opcional é diz respeito ao número de argumentos, dos quais muitos parâmetros sua função customizada está apta a ter.  A prioridade padrão é 1.


Exemplo de código de plugin depois do rodapé de cada página

Este plugin faz um action hook wp_footer(), que é chamada antes de fechamento com a tag </body> em cada página e adiciona uma nova função denominada mfp_Add_Text().

Uma vez que isso faz parte de um plugin e não de um tema do WordPress, se você ativar um tema completamente diferente ele continuará funcionando.

Você pode salvar este exemplo como um arquivo PHP, transferi-lo para a pasta wp-content/plugins/ e ativá-lo no Painel de Controle para ver a mudança.

<?php
/*
Plugin Name: Add Text To Footer
*/
 
// Hook the 'wp_footer' action hook, add the function named 'mfp_Add_Text' to it
add_action("wp_footer", "mfp_Add_Text");
 
// Define 'mfp_Add_Text'
function mfp_Add_Text()
{
  echo "<p style='color: black;'>After the footer is loaded, my text is added!</p>";
}

O resultado final será algo bem parecido com esta imagem:

IMPORTANTE: você pode chamar o action hook add_action() antes de definir sua própria função, pois o PHP avalia todo o script antes de executá-lo. Escrever chamadas add_action () no topos dos arquivos arquivo na ordem em que são executadas, e depois definir suas funções na mesma ordem abaixo, torna os arquivos mais fáceis de ler.


Removendo as funções de uma Action Hook usando remove_action()

Para remover a função de um action hook, você precisa escrever uma nova função que chame o remove_action() e, então, chame a função que você criou usando add_action(). O exemplo abaixo deixará mais claro.

Você precisa dar aos action hook remove_action() ao menos em duas partes de informação como parâmetros.

// Hook the 'init' action, which is called after WordPress is finished loading the core code, add the function 'remove_My_Meta_Tags'
add_action( 'init', 'remove_My_Meta_Tags' );

// Remove the 'add_My_Meta_Tags' function from the wp_head action hook
function remove_My_Meta_Tags()
{
  remove_action( 'wp_head', 'add_My_Meta_Tags');
}
  • O primeiro parâmetro requerido é o nome do action hook em que a função está conectada.
  • O segundo parâmetro necessário é o nome da função que deseja remover.
  • O terceiro parâmetro (opcional) é a prioridade da função original. Este parâmetro deve ser idêntico à prioridade que foi originalmente definida ao adicionar a ação ao action hook. Se você não definiu uma prioridade em sua função personalizada, não inclua o parâmetro.

Exemplo: imagine que você não deseja que o texto adicionado ao rodapé no exemplo anterior apareça em uma segunda-feira. Uma maneira de fazer isso é usar a função de data do PHP para obter o dia atual, seguido por uma instrução condicional if…then… para testar se o dia atual é segunda-feira e, em seguida, chamar remove_action() se for uma segunda-feira. Você chama a função usando add_action(), ativando qualquer action hook que ocorra antes do action hook que deseja alterar. Se você tentar conectar um action hook que ocorre após o wp_footer neste exemplo, a action não será removida do hook, pois ela já foi executada. 

<?php
 
// Hook the 'wp_footer' action, run the function named 'mfp_Add_Text()'
add_action("wp_footer", "mfp_Add_Text");
 
// Hook the 'wp_head' action, run the function named 'mfp_Remove_Text()'
add_action("wp_head", "mfp_Remove_Text");
 
// Define the function named 'mfp_Add_Text('), which just echoes simple text
function mfp_Add_Text()
{
  echo "<p style='color: #FFF;'>After the footer is loaded, my text is added!</p>";
}
 
// Define the function named 'mfp_Remove_Text()' to remove our previous function from the 'wp_footer' action
function mfp_Remove_Text()
{
  if (date("l") === "Monday") {
    // Target the 'wp_footer' action, remove the 'mfp_Add_Text' function from it
    remove_action("wp_footer", "mfp_Add_Text");
  }
}


Filters e Filter Hook 

Um filter hook permite que você modifique os dados resultantes que são retornados por funções existentes e devem ser conectados a um dos filter hooks. Os filters hooks disponíveis são diferentes dos actions hooks.

Eles se comportam de forma semelhante aos actions hooks na medida em que são chamados em vários pontos do script e são contextuais.

Uma lista completa de filters hooks e o contexto em que eles são chamados podem ser encontrados na página de Referência de Filters de API do WordPress Plugin.


Adicionando filters com add_filter()

Para adicionar uma função de filter a qualquer filter hook, seu plugin deve chamar a função WordPress add_filter(), com pelo menos dois parâmetros.

/ Hook the 'the_content' filter hook (content of any post), run the function named 'mfp_Fix_Text_Spacing'
add_filter("the_content", "mfp_Fix_Text_Spacing");

// Automatically correct double spaces from any post
function mfp_Fix_Text_Spacing($the_Post)
{
 $the_New_Post = str_replace("  ", " ", $the_Post);
 
 return $the_New_Post;
}
  • O primeiro parâmetro requerido é o nome do filter hook que você deseja conectar.
  • O segundo parâmetro requerido é o nome da função de filter que deseja executar.
  • O terceiro parâmetro (opcional) é a prioridade da função que deseja executar. Você pode anexar qualquer número de funções de filter diferente a um filter hook. A prioridade padrão é 10, colocando sua função personalizada após as funções integradas. Uma função com uma prioridade de 11 é executada em seguida, e assim por diante.
  • O quarto parâmetro (opcional) é o número de argumentos, o que significa quantos parâmetros sua função de filter personalizado é capaz de tomar. O padrão é 1.


Exemplo de plugin para alterar o trecho de uma publicação

O WordPress possui uma função que recupera o trecho de uma postagem. Ela é chamada get_the_excerpt(), que também é um filter hook. A função para realmente exibir o trecho se chama get_the_excerpt() para recuperá-la. E é aí que o filter é aplicado e o trecho é alterado antes de ser exibido.

Este plugin define uma função de filter que leva o excerto como seu único parâmetro de entrada, adiciona algum texto antes dele e retorna o novo valor sempre que o get_the_excerpt() é chamado.

Como o valor de retorno da função get_the_excerpt() é o texto real, ele é inserido automaticamente com o parâmetro de funções $old_Excerpt quando chamado usando add_filter(). A função que você define deve retornar com o novo valor.

<?php
/*
Plugin Name: Add Excerpt 
*/

// Hook the get_the_excerpt filter hook, run the function named mfp_Add_Text_To_Excerpt
add_filter("get_the_excerpt", "mfp_Add_Text_To_Excerpt");

// Take the excerpt, add some text before it, and return the new excerpt
function mfp_Add_Text_To_Excerpt($old_Excerpt)
{
  $new_Excerpt = "<b>Excerpt: </b>" . $old_Excerpt;
  return $new_Excerpt;
}

O resultado final será algo bem parecido com esta imagem:


Removendo filters usando remove_filter()

Remover filters é muito mais simples do que remover uma action, pois você pode usar chamar a função remove_filter() sem definir uma nova função. Para este exemplo, vamos mais uma vez adicionar uma simples situação condicional e remover o texto se o dia atual é terça-feira.

// Hook the get_the_excerpt filter hook, run the function named mfp_Add_Text_To_Excerpt
add_filter("get_the_excerpt", "mfp_Add_Text_To_Excerpt");

// If today is a Thursday, remove the filter from the_excerpt()
if (date("l") === "Thursday") {
  remove_filter("get_the_excerpt", "mfp_Add_Text_To_Excerpt");
}

// Take the excerpt, add some text before it, and return the new excerpt
function mfp_Add_Text_To_Excerpt($old_Excerpt)
{
  $new_Excerpt = "<b>Excerpt: </b>" . $old_Excerpt;
  return $new_Excerpt;
}

Agora que você tem uma compreensão básica de hooks e filters, vamos criar um plugin WordPress simples. Com ele, você vai adicionar um novo link e página ao Painel de controle do administrador do plataforma. Vamos começar?


Passo 1 – Armazenando seu plugin WordPress

O primeiro passo para criar o seu plug-in do WordPress é fazer uma pasta para armazenar todos os seus arquivos. Os plugins são salvos na seguinte pasta: /wp-content/plugins/.

A pasta que você cria precisa de um nome único e descritivo para garantir que não choque com nenhum outro plugin. Conecte-se à sua conta de hospedagem com um cliente FTP. No diretório principal do WordPress, navegue para wp-content, depois para plugins. Dentro da pasta de plugins, crie uma nova pasta chamada my-first-plugin.

aprendendo como criar plugin no wordpress

Para tornar as coisas mais fáceis, é melhor separar os vários arquivos que compõem seu plugin WordPress e dar a eles suas próprias subpastas, ao invés de ter todos os arquivos do seu plugin na pasta principal.

Quando um plugin cresce e se torna mais complexo, é muito mais fácil encontrar um arquivo específico quando tudo tem seu próprio lugar. Se o seu plugin usa algum CSS personalizado, você cria uma pasta CSS e salva todos os arquivos CSS lá. Se o seu plugin usa JavaScript personalizado, você cria uma pasta JavaScript.


Passo 2 – Criando o primeiro arquivo do Plugin WordPress

O primeiro arquivo em seu plugin é importante. Ele contém todas as informações que o WordPress precisa para exibir seu plugin na lista de plugins. Algo que permite que você realmente ative o plugin.

Na sua pasta my-first-plugin, crie um novo arquivo PHP chamado my-first-plugin.php. É uma boa prática dar a este primeiro arquivo um nome semelhante ao que você deu à sua pasta, mas pode ter qualquer nome que você gosta.

Adicione a tag PHP de abertura <?php para a primeira linha. Você não precisa adicionar uma tag de fechamento ao final do arquivo. Este arquivo irá principalmente mostrar “comentários de cabeçalho” com várias informações que serão lidas/exibidas pelo WordPress.

Os comentários do cabeçalho entram em um comentário de PHP com várias linhas. Um por linha e cada linha começa com um texto específico para definir ao quê a linha se refere. Estes devem apenas entrar neste primeiro arquivo e não precisam estar em nenhum outro arquivo.

O primeiro comentário que você deve adicionar em my-first-plugin.php é o nome do seu plugin. Comece escrevendo a abertura de comentário de várias linhas usando /* na segunda linha do arquivo, logo abaixo da tag PHP de abertura. Na terceira linha, escreva o Nome do Plugin: Meu Primeiro Plugin. Na quarta linha, feche a seção de comentários com */. Seu arquivo agora se se parecer assim:

<?php
/*
Plugin Name: My First Plugin
*/

Salve o arquivo e faça o upload dele para a pasta my-first-plugin. Navegue até a página Plugins do Painel de Controle do WordPress.

Agora você verá um plugin na lista. Ele aparecerá com o nome My First Plugin, com links para Ativar, Editar e Excluir o plugin.

Existem algumas informações diferentes que você pode adicionar, como uma descrição do plugin, seu próprio nome, um link para o seu site ou a versão atual do seu plugin. Por enquanto, vamos apenas adicionar uma descrição e seu nome.

Edite my-first-plugin.php para que pareça com o exemplo abaixo. Faça o transferência de dados e substitua o arquivo antigo quando solicitado:

<?php
/*
Plugin Name: My First Plugin
Description: This is my first plugin! It makes a new admin menu link!
Author: Your Name
*/

Uma vez carregado, atualize a página de Plugins da área de administração do WordPress e você verá seu plugin com sua nova descrição e nome.

informações adicionais sobre o plugin criado no WordPress


Passo 3 – Criando funções para o Plugin WordPress

Como mencionado anteriormente, a melhor prática ao desenvolver um plugin WordPress é separar seu código de forma adequada em arquivos e pastas apropriados.

Uma vez que o trabalho principal do primeiro arquivo é manter os cabeçalhos de comentários, faz sentido colocar o resto do código do plugin em arquivos separados em sua própria subpasta, usando as funções de “incluir” do PHP para acessá-los.

Todos os arquivos armazenados em subpastas são chamados diretamente pelo nosso código e somente pelo nosso código, portanto, então os nomes das subpastas não precisam de um prefixo.

Porém, é altamente recomendável que você dê a todos os seus arquivos, funções e variáveis, ​​um prefixo exclusivo em seu nome para evitar conflitos com outros plugins. Neste caso, estamos usando o mfp como um prefixo, como uma referência a My First Plugin.

Na pasta principal do seu plugin, crie uma nova pasta chamada includes. Qualquer arquivo que seja “incluído” por outro arquivo irá nesta pasta. Crie um novo arquivo PHP na pasta inclui e salve-o como mfp-functions.php. Dê a ele a abertura <?php na primeira linha. Este novo arquivo é onde todas as funções do seu plugin serão armazenadas.

Agora volte para my-first-plugin.php na pasta principal do seu plugin. Precisamos que você inclua o arquivo mfp-functions.php para que possamos realmente usar as novas funções.

Use require_once para garantir que o plugin só funcione se o arquivo de funções estiver disponível. A maneira mais fácil de incluir arquivos da sua pasta de plugins é usando a função do WordPress plugin_dir_path (_ FILE_), que fornece o caminho completo para o diretório onde o nosso plugin está armazenado. 

Em seguida, use um “.” (ponto final) para anexar o nome da subpasta que criamos anteriormente (included), seguido do nome do arquivo que criamos (mfp-functions.php).

Edite o my-first-plugin.php como mostrado abaixo. Salve e faça o upload novamente, substituindo a versão pela nova anterior quando solicitado.

<?php
/*
Plugin Name: My First Plugin
Description: This is my first plugin! It makes a new admin menu link!
Author: Your Name
*/

// Include mfp-functions.php, use require_once to stop the script if mfp-functions.php is not found
require_once plugin_dir_path(__FILE__) . 'includes/mfp-functions.php';

Retorne para mfp-functions.php na subpasta includes.

Agora vai uma dica nossa. É uma ótima idéia agrupar funções semelhantes e escrever um comentário de cada grupo descrevendo-os, seguido de um breve comentário de linha única acima de cada função e descrevendo-o brevemente.

Dessa forma, você não precisa ler todo o código para encontrar uma função e descobrir o que ela faz. Vamos nomear a função mfp_Add_My_Admin_Link(). A função irá adicionar um novo link de nível superior ao menu de navegação do painel de controle do WordPress. 

Para recapitular, os passos envolvidos na criação de um plugin WordPress são: 

  • Escrever um comentário descrevendo a função
  • Nomear a função
  • Escrever a função

No mfp-functions.php, escreva o seguinte:

<?php
/*
 * Add my new menu to the Admin Control Panel
 */
 
// Add a new top level menu link to the ACP
function mfp_Add_My_Admin_Link()
{
  // My code goes here
}

Dentro da nossa função, precisamos usar a função incorporada do WordPress add_menu_page() para dar um nome ao nosso menu. Além de um título e dizer quem tem permissão para vê-lo. Então, dizemos a ele quê exibir quando você vai para a página.

Você também pode dar ao link do menu um ícone e definir sua posição no menu de navegação do painel de controle. O ícone dinâmico padrão será mostrado no link para a página.

O link aparecerá na parte inferior do menu de navegação do painel de controle. Toda esta informação é inserida como parâmetros de add_menu_page().

Os quatro parâmetros necessários de add_menu_page() aparecem em sua própria linha para melhorar a legibilidade. Eles aparecem nesta ordem: 

  • O título da página que você vê depois de clicar no link (exibido na guia no seu navegador).
  • Texto para mostrar como o link do menu (exibido na lista de navegação do painel de controle do administrador), deve ser o nome do seu plugin.
  • Requisito de capacidade do usuário para visualizar o menu, neste exemplo, apenas os usuários com o recurso ‘manage_options‘ podem acessar a página.
  • O arquivo a ser usado ao exibir a página atual será armazenado na subpasta includes e nomeado mfp-first-acp-page.php. A URL inserida é conhecido como “slug“.

Antes de continuar, é importante notar que existe uma maneira alternativa de usar essa função. O quarto parâmetro pode simplesmente ser uma seqüência de texto que é exibida na URL após ‘wp-admin / admin.php?page=’.

Se você inserir ‘my-plugin-page’, a URL se torna ‘wp-admin / admin.php?page=my-plugin-page‘.

O quinto parâmetro deve ser o nome de uma função que produz algo. Você pode escrever uma função que apenas informa ‘Bem-vindo à página 1’, por exemplo. É significativamente mais fácil criar um arquivo PHP para manter sua página.

Edite mfp-functions.php, remova // My code goes here, substitua-o por add_menu_page() e dê os parâmetros como mostrado abaixo:

<?php
/*
 * Add my new menu to the Admin Control Panel
 */
 
// Add a new top level menu link to the ACP
function mfp_Add_My_Admin_Link()
{
      add_menu_page(
        'My First Page', // Title of the page
        'My First Plugin', // Text to show on the menu link
        'manage_options', // Capability requirement to see the link
        'includes/mfp-first-acp-page.php' // The 'slug' - file to display when clicking the link
    );
}

Para que essa função seja executada, precisamos usar a função do WordPress chamada add_action() com dois parâmetros, conforme descrito na seção “Adicionando funções a um action hook usando add_action()” deste tutorial. Se rpecisar, leia novamente esta seção antes de continuar.

  • O primeiro parâmetro é o action hook que deseja segmentar. No nosso caso, o hook de ação é admin_menu – isso significa que nossa função é executada quando o menu de administrador está sendo gerado.
  • O segundo parâmetro é apenas o nome da função a ser executada. A função que escrevemos é chamada mfp_Add_My_Admin_Link. Observe que os parênteses NÃO são usados aqui. Lembre-se de que o PHP avalia todo o script antes de executá-lo, permitindo que você use add_action () antes de definir a função mencionada no parâmetro 2.

Nosso arquivo final vai se parecer com isto:

<?php
/*
 * Add my new menu to the Admin Control Panel
 */
 
// Hook the 'admin_menu' action hook, run the function named 'mfp_Add_My_Admin_Link()'
add_action( 'admin_menu', 'mfp_Add_My_Admin_Link' );
 
// Add a new top level menu link to the ACP
function mfp_Add_My_Admin_Link()
{
      add_menu_page(
        'My First Page', // Title of the page
        'My First Plugin', // Text to show on the menu link
        'manage_options', // Capability requirement to see the link
        'includes/mfp-first-acp-page.php' // The 'slug' - file to display when clicking the link
    );

Subscreva o arquivo mais novo includes na pasta mfp-functions.php.


Passo 4 – Criando a nova página de administrador do WordPress

Agora podemos criar a página a ser exibida quando você clicar no link do painel de controle do WordPress. É lá que você vai encontrar o plugin WordPress criado.

Volte para a subpasta includes e crie um novo arquivo PHP chamado mfp-first-acp-page.php. As tags de abertura do PHP não são necessárias neste arquivo, pois estamos usando o HTML. Escreva o HTML abaixo e faça o upload do arquivo.

<div class="wrap">
  <h1>Hello!</h1>
  <p>This is my plugin's first page</p>
</div>

 

Ao criar páginas de administração, o WordPress recomenda incluir seu próprio HTML com um div e uma classe classe “wrap“, como mostrado acima. Isso garante que todo o seu conteúdo apareça no lugar correto, assim como qualquer outra página de administração. Se você não fizer desse jeito, a página pode ficar uma bagunça.

Volte para a sua lista de plugin WordPress no painel de controle ative o plugin. Assim que a página for carregada, veja a parte inferior do menu de navegação do painel de controle.

Como você pode ver na imagem abaixo, existe um o novo link chamado ‘My First Plugin‘. Clique nele e você vai acessar a própria página do painel de controle dele. 

link do plugin wordpress criado por você no painel de controle


Conclusão

Parabéns! Você acabou de criar o seu primeiro plugin WordPress. Com isso, também já conseguiu adicionar um novo link ao menu do painel de controle da plataforma. 

Este é só um dos primeiros passos para se tornar um programar de sucesso na internet. Desenvolver um plugin WordPress demanda conhecimento, tempo e dedicação.

A partir de agora, você pode começar a construir outras ferramentas, plugins e funções para melhorar a usabilidade e a vida de usuários pelo mundo inteiro.

E, se quiser aprofundar seus conhecimentos sobre o CMS mais popular do mundo, não deixe de conferir nossos outros conteúdos, guias e tutoriais do WordPress

Tem alguma dúvida ou sugestão para a gente? Use a caixa de comentários abaixo para nos mandar uma mensagem! Vamos adorar interagir com você! 😉

Ariane G.

Ariane é jornalista, analista de conteúdo & SEO na Hostinger Brasil e tem o papel de contar para todo mundo o poder transformador da internet. Com foco em otimização, produção para web e técnicas de SEO, divide os dias entre pesquisas de palavras-chave e passagens aéreas (ela ama viajar).

10 Comentários

Deixe seu comentário!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  • O último passo desse tutorial não funcionou na minha implementação, ao invés de carregar a página como o resultado do exemplo, ele não encontra a página e carrega uma página em branco do meu tamplate e desconfigura algumas formatações de css!

    • Oi, George, tudo certo? Você precisa usar o inspecionador de elementos do navegador e ver na aba de console ou rede se mostra algum erro. Às vezes, o erro pode ser a ordem de algum arquivo JS (se você estiver usando) ou um erro de PHP. Se for erro de PHP, você precisa entrar no seu painel e ir na opção “versão do PHP” e habilitar os erros, para descobrir o porquê de não estar funcionando.

      Qualquer outra dúvida pode responder aqui mesmo ou entrar em contato com a nossa equipe de sucesso.

  • Alguém me indica uma pessoa que trabalhe fazendo plugin personalizado. Preciso de um que some o número de visitas que um determinado usuário conseguiu receber em seus artigos.

    Já encontrei um plugin com essas características, porém, ele não conta os cliques corretamente nas postagens

  • Olá, com todo respeito e reconhecimento pelo conteúdo instrutivo. Achei que algumas traduções dificultam mais do que ajudam. Não existe arquivo “fuções.php”, assim como eu acho bem mais difícil a pessoa ter que fazer a tradução reversa da palavra gancho, para descobrir que está se tratando de hook ou gancho de filtro. Usar o termo como ele está sendo largamento utilizado na documentação ou em várias páginas pela internet ajuda muito mais. E outra, não faltam ferramentas para tradução para resolver a tradução de alguns termos.

    Falo isso porque meu inglês não é tão avançado assim e senti dificuldade com o conteúdo posto dessa forma.

Comece a Economizar Agora!

Hospedagem com tudo incluso e nome de domínio
R$3
12
/mês*

Cadastre-se

Receba nossos conteúdos e novidades direto no seu e-mail!

 

Estamos cadastrando...

Pronto! Obrigado por se inscrever!

[href]
[href]