“Brincadeira de criança”: Por Que a Hostinger Usa o Método Montessori nas suas Peer Reviews
access_time
hourglass_empty
person_outline

“Brincadeira de criança”: Por Que a Hostinger Usa o Método Montessori nas suas Peer Reviews

Oi, meu nome é Arnas Stuopelis, sou o CEO da Hostinger Global e gostaria de compartilhar uma história muito pessoal sobre o porquê de nós usarmos um método próprio— uma adaptação que fizemos do Método Montessori usado nas escolas— no nosso sistema de peer review.

Primeiro, eu gostaria de ressaltar que eu sou fruto da educação com base no Método Montessori. No que diz respeito à Hostinger como uma empresa, acredito piamente que usar os princípios montessorianos de independência, liberdade e desenvolvimento pessoal ajudará bastante qualquer profissional a ter um melhor desempenho no dia a dia de trabalho. Nós aplicamos alguns desses princípios às nossas sessões de peer review a fim de melhorar ainda mais nosso serviço de atendimento ao cliente para os milhares de usuários de hospedagem de sites espalhados pelo mundo.

O conceito que pegamos emprestado das escolas montessorianas consiste na introdução gradual dos membros da equipe às sessões de feedback coletivo para as peer reviews, ou “avaliações 360 graus”. Mas antes de falarmos sobre como o aplicamos, vou contar o porquê de escolhermos esse método alternativo para avaliar nossos colaboradores.

Em meados de 2017, a Hostinger realizou, pela primeira vez, as sessões de peer review, que se aplicadas corretamente, podem aumentar significativamente a produtividade dos colaboradores e permitir que os gerentes os deixem mais independentes.

Para iniciar nossa sessão de peer review, reunimos 100 dos nossos Agentes de Serviço para dar um feedback construtivo aos demais colegas sobre o seu trabalho e o dos colegas; em quais áreas eles estavam indo muito bem e em quais precisam melhorar.

Em respeito à nossa política de termos transparência em tudo o que fazemos, admito que o resultado inicial foi caótico porque para utilizar os métodos de avaliação objetivos.

Foi daí que lembrei do meu tempo de escola e como o Método Montessori inseriu, aos poucos, os novos alunos ao nosso grupo para ajudá-los a aprender e a se adaptarem ao novo ambiente. Em vez de colocarem os novatos todos juntos, eles eram inseridos, separadamente, em um grupo de crianças que frequentavam a escola há mais tempo. Por exemplo, no primeiro dia de escola, o aluno novato se apresentava ao grupo; no segundo dia, mais dois alunos; no terceiro, mais três e assim sucessivamente. Esta estratégia progressiva evitou a “mentalidade de rebanho”, pois a pessoa novata teria de se adaptar ao novo ambiente de acordo com o comportamento dos seus colegas de grupo que frequentam o ambiente há mais tempo. Eles mudaram de comportamento de acordo com o que e quem está à sua volta, e a cultura de aprendizagem da escola permaneceu intacta.

Para resolver o problema que enfrentamos durante a nossa primeira peer review, pareceu-nos lógico desenvolver um sistema de peer review com base no modelo de introdução progressiva usado na minha escola. Eliminamos a ideia de reunir 100 colegas de trabalho para dar feedback mútuo e, a princípio, treinamos apenas 3 colaboradores para que eles tivessem as habilidades necessárias para conduzir as nossas peer reviews de forma efetiva. A cada dia apresentamos um novo membro da equipe ao grupo. Como acontecia na escola, o novato do grupo adaptou seu comportamento ao ambiente e aprendeu como conduzir uma avaliação eficaz dos seus colegas. À medida que os dias foram passando, integramos mais pessoas ao grupo que crescia rapidamente. Em apenas seis meses, conseguimos treinar quase 100 colaboradores com o método montessoriano sem afetarmos nossa cultura de trabalho em equipe, na verdade, ela foi aprimorada significativamente, o que foi ainda mais importante para nós.

Assim como a Hostinger, a Google e a Amazon também unem “ideias progressivas, como escritórios abertos e entretenimento com métodos tradicionais, como incentivar a competição interna e medir o desempenho.” Se essa abordagem foi boa o suficiente para essas duas gigantes internacionais, então com certeza ela seria boa para nós!

Se você já utilizou algum método alternativo de aprendizado para aprimorar seu negócio, compartilhe conosco, adoraríamos saber como foi sua experiência.

Obrigado pela atenção!

Arnas.

Exemplo de peer review baseado no método montessori
Exemplo de uma peer review

Texto escrito originalmente em inglês pelo CEO da Hostinger Global, Arnas Stuopelis.

O autor

Author

Bruna Vidanya / @brunadutra

Bruna Vidanya é estudante de Letras Tradução Inglês na Universidade de Brasília, e trabalha como tradutora na Hostinger Brasil. Já estagiou como tradutora no Senado Federal e teve sua primeira tradução de um livro infanto-juvenil publicada pela Livraria Senado Federal. É apaixonada por tecnologia e agora demonstra sua paixão escrevendo artigos para o blog da Hostinger com muito carinho. Nas horas vagas, Vidanya ama ficar com seus dois cachorrinhos, Madonna e Snoop, ver séries (as sitcoms são suas favoritas). Um fato curioso sobre a autora: seu primeiro bichinho de estimação foi um galo Garnisé, chamado Chico Liro.

Histórias relacionadas

Deixe uma resposta

Comentar

Nome*

E-mail*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Faça parte da Hostinger agora!